Vida clamante por Vida

Não posso guardar os maiores sonhos da minha vida como segredos vergonhosos, porque não batem com o que querem pra mim.

Não quero mais zonas mortas, mas vales de banquetes abundantes e fonte de água viva.

Que vergonha ou medo podem ser mais fortes que a vida clamante por Vida da mulher?

Há um forte clamor nos entremeios.

Mas “eu vi o clamor do meu povo, conheço seus sofrimentos, e desci pra libertá-los da opressão.” (Ex 3,7-8)

(Escrito em 21 de julho de 2016, a caminho do trabalho, após terminar a parte “A zona morta”, do conto “Marcas de combate”, de Clarissa Pinkola)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s